Como calcular os custos de um funcionário para a sua clínica odontológica

Se você é o gestor de uma clínica odontológica, já deve se perguntado quais são os custos de um funcionário, não é mesmo? Saber sobre isso é importante, uma vez que, se os colaboradores forem um peso muito grande para o orçamento, devem ser tomadas medidas para sanar o problema como a reorganização do quadro operacional.

Para que você possa aprender sobre esse processo, não deixe de acompanhar a leitura do artigo. Vamos explicar o porquê de fazer o cálculo de custos de um funcionário e como executá-lo na prática!

Por que é importante calcular os custos de um funcionário da clínica?

Entender o custo de um funcionário para a clínica pode ser útil para compreender se é viável manter serviços internos ou se compensa optar pela terceirização.  

Exemplo disso pode ser observado com a radiologia. Muitas vezes é mais vantajoso contratar uma empresa que faça laudos a distância do que manter um radiologista especialista na equipe.

Em resumo, podemos dizer que, ao saber custo de cada funcionário da clínica, poderá verificar se há um retorno sobre o investimento (ROI) ou se isso pode ser melhorado.

Trata-se, portanto, de uma operação fundamental para a área estratégica do negócio, podendo nortear sobre futuros caminhos a serem seguidos para que a clínica obtenha sucesso.

O que fazer para calcular os custos de um funcionário na clínica?

Como calcular os custos de um funcionário para a sua clínica odontológica

É comum ouvirmos empresários falando que os custos de um funcionário para a empresa o dobro do que lhe é pago de salário. Apesar de esse valor ser apenas uma estimativa, ele não é totalmente irreal, pois ao fazer todas as somatórias se chega a um número realmente similar ao dobro do ordenado.

Para fazer o cálculo exato e compreender quanto custa cada funcionário para a sua clínica, o primeiro passo é verificar qual é o seu regime fiscal. Atualmente existem três tipos de regime:  o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido. Explicaremos cada um deles.

Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime que vigora no Brasil desde o ano de 2007. Ele foi criado, na época, para que as micro e pequenas empresas possam pagar em uma única guia os seus impostos municipais, estaduais e federais.

Além disso, os valores do Simples Nacional são mais baixos, servindo como um incentivo para o empreendedorismo no país. Dentro desse contexto, muitos consultórios e clínicas, por serem empresas de pequeno porte, optam por esse regime.

Nesse caso, vamos supor que um funcionário da sua clínica ganhe por mês um salário de R$ 2 mil. Além dessa quantia, você deverá desembolsar os seguintes encargos:

  • 8% de FGTS;
  • 8% do valor anual de FGTS;
  • férias;
  • 1/3 sobre as férias;
  • 13º salário.

Assim, para calcular a provisão mensal deve-se fazer o seguinte cálculo:

(Férias + 1/3 sobre férias + 13º + 8% de FGTS anual)/12

Além disso, você poderá descontar da folha de pagamento os 8% de INSS e mais 6% referente ao vale-transporte, pois essa é a quantia por mês que deve ser paga pelo colaborador e o restante vai para a empresa.

Nesse caso, a movimentação total gerará para o empregador um custo de R$ 3.262,22, um valor que não chega a ser o dobro, mas é bem mais alto que o salário do funcionário da clínica.

Lucro real ou Presumido

As empresas que optam pelo Lucro Real ou Presumido são aquelas que têm um orçamento superior a R$ 3,6 milhões por ano. Tratam-se, portanto, de clínicas maiores e que têm uma quantidade maior de funcionários para dar conta de sua demanda.

Nesse caso, além dos cálculos que precisam ser feitos pelas clínicas optantes pelo Simples, também é preciso somar a alíquota de terceiros. Trata-se de uma contribuição obrigatória, que deve ser igual a 5% do valor do salário do colaborador.

Assim, o custo total de um funcionário que ganha R$ 2 mil é de R$ 3.977,78. O valor realmente se aproxima do dobro do salário, conforme é dito popularmente.

Afinal, como diminuir os custos de um funcionário em minha clínica?

Como você pode perceber, não é tão fácil manter um funcionário em uma clínica odontológica, principalmente em tempos de crise econômica. E é por isso que se deve buscar meios para diminuir os custos com a mão de obra.

Uma boa alternativa é substituir funcionários internos por equipes terceirizadas. Isso pode ser feito com a recepção, com a faxina e até mesmo serviços mais complexos, como a emissão de laudos radiológicos.

No caso dos laudos, existem empresas especialistas em telerradiologia que implementam na sua clínica um software específico para atender essa demanda. Por meio desse programa, os dentistas podem enviar as imagens coletadas de seus pacientes.

Depois disso, radiologistas altamente qualificados analisam as imagens, desenvolvem os laudos e os enviam novamente para a sua clínica. Isso de forma rápida e prática. O melhor de tudo é que o valor é cobrado por demanda, ou seja, você vai pagar apenas pelos laudos emitidos e não uma taxa fixa mensal.

Cada vez mais as clínicas odontológicas estão deixando de ter radiologistas próprios e optando pela terceirização, pois assim não é necessário se preocupar com os altos custos de um funcionário. Além disso, têm a certeza de que o serviço terá uma qualidade tão boa quanto se fosse realizado internamente.

E então, conseguiu entender sobre como fazer o cálculo de quanta despesa você tem com funcionários? Também pretende terceirizar alguns serviços em sua clínica? Conte para a gente no espaço abaixo. Sua opinião aqui é sempre bem-vinda!

Leia também

Deixe uma resposta